Fado: O Ritmo da Cultura Portuguesa

O estilo musical tradicional de Portugal conta apenas com uma guitarra portuguesa e a voz dramática de quem o interpreta. No ano de 2011, o Fado foi classificado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. De origem histórica incerta, o ritmo é o resultado de uma fusão histórica e cultural que ocorreu em Lisboa. O Fado, que surgiu na segunda metade do século XIX, embalado nas correntes do romantismo: melopeia exprimindo a tristeza de um povo, a sua amargura pelas dificuldades que vive, mas capaz de induzir esperança. Contaminando mais tarde os salões aristocratas, tornar-se-ia rapidamente expressão musical tipicamente portuguesa. Tendo como os temas mais cantados a saudade, a nostalgia, o ciúme, as pequenas histórias do quotidiano dos bairros típicos e as lides de touros, o Fado já foi condenável aos olhos da Igreja, por conta de se suas raízes boémias e ordinárias que provinha das tabernas e bordéis, dos ambientes de orgia e violência dos bairros mais pobres da capital, Lisboa. O fado moderno que, iniciou-se e teve o seu apogeu com Amália Rodrigues, quem popularizou fados com letras de grandes poetas, como Luís de Camões, José Régio, Pedro Homem de Mello e outros. Nascido em Lisboa, o Fado é hoje conhecido mundialmente pode ser (e é muitas vezes) acompanhado por violino, violoncelo e até por orquestra, mas não dispensa a sonoridade da guitarra portuguesa. Descubra a playlist “Fados do Vila Chã” no Spotify e conheça alguns clássicos desse histórico ritmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *