Pastéis de Belém: como tudo começou

A história da doçaria portuguesa percorre o tempo com tradição e mistérios

A notável tradição das sobremesas portuguesas é muito antiga. Começou já no século XV, quando Portugal passou a produzir cana-de açúcar em larga escala, tornando o consumo de doces ainda mais propicio .

A história do doce português surgiu pelas mãos de monges do Mosteiro de Jerônimos. Conta-se que eles utilizavam as gemas que sobravam da produção de hóstia, feita apenas com clara de ovo e trigo, para fazer o quitute.

A receita que vem lá de Belém, atual bairro de Lisboa, é cercada de mistérios. Ao que se sabe, o inventor da iguaria trabalhava na madrugada para chegar à mistura certa do tradicional doce luso. Além disso, acredita-se que apenas os monges que trabalham na confeitaria é que detém a receita original do doce, sem revelar a verdadeira combinação a ninguém.

O cuidado com a tradição da doçaria portuguesa se concretiza em cada detalhe. Os Pastéis de Belém continuam com sua reputação intacta graças à qualidade empregada na confecção.

Longe de saber o segredo que envolve a receita, podemos afirmar que a produção exige a dedicação de um trabalho manual, enquanto o zelo pelos melhores ingredientes é o primeiro passo para distinguir os verdadeiros pastéis de Belém dos demais pastéis de nata, como também são conhecidos, apesar de não levarem nata na receita.

Acompanhada de tanta história, até hoje os pastéis agradam os mais diversos paladares pelo mundo. Por isso, aqui no Restaurante Vila Chã preparo deliciosos Pastéis de Belém, com o autêntico sabor que vem da terrinha.

Te espero aqui para saborear essa típica receita portuguesa, com certeza!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *