Viajando pelos vinhos de Portugal: Quinta do Ameal

Com mais de 300 anos de tradição, a Quinta do Ameal é uma das mais famosas produtoras de vinhos brancos do mundo

Criada em 1710, no Vale do Lima, norte de Portugal, a Quinta do Ameal é uma pequena e antiga propriedade que se destaca pela exclusiva produção ecológica de vinhos brancos, feitos a partir de uma única casta de uva portuguesa: o Loureiro.

Além da beleza local, a excelência dos vinhos é resultado de uma filosofia de produção orgânica de uvas. Por isso, a Quinta é conhecida por seus rótulos de terroir de grande personalidade e carácter.

Junto à produção artesanal, a vinícola carrega um importante histórico familiar. Quando começaram a produzir, a casta Loureiro estava esquecida na produção de vinhos de nicho. Então, a família optou pela uva para tornar realidade o sonho de fazer vinhos brancos.

Para garantir a qualidade dos vinhos da Quinta do Ameal, cada fase de produção é cuidadosamente respeitada. Nas vinhas, o rigor está presente desde a poda dos cachos até a seleção restrita de uvas, tudo para que o resultado final sejam vinhos atrativos e complexos.

A produção orgânica das uvas assegura, além da qualidade única de seus vinhos, a responsabilidade da promoção da biodiversidade, do respeito com o solo e o local de onde brota a bebida.

Através dessa atitude ecológica, o equilíbrio entre produção e natureza permite o crescimento controlado de ervas específicas que ajudam as vinhas, com solos minerais ricos.

Com seus 30 hectares, a Quinta do Ameal permite um passeio incrível ao visitante. São 12 hectares de vinhas plantadas, com espaços de floresta com pinheiros e carvalhos com mais de 200 anos, além de jardins e rios que completam esse cenário deslumbrante.

Assim, os produtos do Ameal são exportados para mais de 15 países e hoje encontra-se nas cartas dos melhores e mais exigentes restaurante do mundo.

No Restaurante Vila Chã você encontra o Quinta do Ameal Loureiro Clássico, feito com 90% Loureiro e 10% Arinto, oferece frescor e intensidade, mostrando frutas cítricas em produção, boa textura e final profundo e untuoso com toques salinos, florais e de mel.

Venha harmonizar com um tradicional prato português!

Viajando pelos vinhos de Portugal: Herdade do Esporão

O Esporão é uma tradicional herdade portuguesa, que incentiva cada vez mais os familiares a entrarem no negócio

Localizada na região de maior superfície geográfica em Portugal, o Alentejo, a Herdade do Esporão foi fundada em 1973 por José Roquette e Joaquim Bandeira. Como uma empresa familiar, o Esporão até hoje busca valorizar a tradição portuguesa, produzindo vinhos de excelente qualidade, tendo em vista a preservação da biodiversidade e o desenvolvimento sustentável.

Parte dos roteiros mais conhecidos do enoturismo em Portugal, a Herdade oferece visita guiada e permite conhecer o processo de produção, as vinhas e de participar de uma degustação. Além disso, o local conta com restaurante, wine bar e pontos turísticos, como a Torre do Esporão e a Ermida de Nossa Senhora dos Remédios.

A região em que está localizada, apresenta variedade significativa de pomares e hortas, além de obter condições favoráveis para a agricultura, tais como grandes amplitudes térmicas.

Hoje, a Herdade possui mais de 60 hectares de vinhedos e mais de 80 hectares de olival. Enquanto isso, para a produção impecável dos reconhecidos rótulos do Esporão, a empresa também incorpora uvas da Herdade dos Perdigões e de outros parceiros, que reflete em 15% do volume total.

Dentre as produções mais reconhecidas estão os vinhos Assobio e Monte Velho, os quais vem conquistando bons apreciadores da bebida portuguesa.

No Restaurante Vila Chã, nossa carta de vinhos conta com exclusivos rótulos do Esporão, como Duas Castas e Verdelho Branco, ambos com sabor fresco e persistente.

Venha a nossa casa portuguesa e harmonize os vinhos do Esporão com nossos tradicionais pratos lusitanos. Espero por você para vivenciar essa experiência única!

Produção de vinhos: Conheça alguns tipos de uvas

A variação do fruto, o modo de produção e a identidade da vinícola compreendem na diversidade de rótulos

Como um bom apreciador de vinhos, gosto sempre de ter experiências diferentes a cada degustação e por isso sempre me permito fazer diferentes harmonizações. As características de cada rótulo são o que permitem as novas descobertas e essas peculiaridades são proporcionadas por uma série de fatores e um deles é a variedade de uvas utilizadas na elaboração dos vinhos. Por isso, hoje eu trouxe um pouco sobre as castas mais conhecidas nesse processo. Conheça:

Chardonnay: são as uvas mais conhecidas na produção dos grandes vinhos brancos e aos excelentes espumantes. Se adapta facilmente aos diferentes tipos de solo e clima, por isso é cultivada na maioria das regiões vitivinícolas do mundo e produz diferentes tipos de vinhos, desde os leves, frescos e frutados para serem consumidos jovens, até os encorpados e complexos.

Cabernet Sauvignon: Esta é a cepa mais conhecida entre as produções de vinhos tintos e uma das uvas de maior prestígio, que podem ser cultivadas em diversas regiões de climas temperados e quentes. Os rótulos oriundos dessa variação são complexos e elegantes, ideais para amadurecimento em carvalho que, com o tempo, desenvolvem o equilíbrio característico de amargor e aroma.

Sauvignon Blanc: De origem francesa e com grande prestígio, esta uva produz rótulos com aromas intensos e acidez características, secos e refrescantes, carregam traços frutados. Além da tradicional região produtora, a Nova Zelândia é o país do novo mundo que mais se identifica com esta cepa, com colheitas em diferentes estágios de maturação, elaborando produtos de alta qualidade

Malbec: É a uva tinta cultivada na Argentina e produz os emblemáticos vinhos desse país. Com cor intensa e frutados, os rótulos produzidos desta uva são intensos e macios e possuem tons florais como de violetas. A complexidade e elegância pode ser alcançada com o amadurecimento em carvalho e com isso vinhos de alta qualidade reconhecidos mundialmente.

Merlot: Originária de Bordeaux (França) produz vinhos sedosos e com aromas de frutos vermelhos maduros. Amadurece muito bem em carvalho, obtendo complexidade e elegância com bom potencial de guarda.

Pinot Noir: Apta para o cultivo em climas frios, produz vinhos leves e meio encorpados, com aromas muito acentuados e elegantes na composição. Esta cepa é caracterizada pelas variações do cultivo de sua origem, a Borgonha na França e também faz parte dos excelentes espumantes de Champagne, combinada com outras variações.

Syrah: Com origem ainda muito discutida, é considerada uma das mais antigas uvas que se tem conhecimento. Os vinhos são estruturados, perfumados e com bom potencial de guarda, segundo seu tipo de elaboração. No Novo Mundo se destaca na Austrália, onde é comum achá-la em cortes com Cabernet Sauvignon.

Carménère: De procedência francesa, apareceu no Chile cultivada junto à Merlot e é responsável pela produção de vinhos, com notas de frutas vermelhas e especiarias, de cor intensa e com boa estrutura tânica.

Espero ter esclarecido algumas dúvidas e deixo o convite para apreciarem os rótulos incríveis produzidos em todo o mundo com essa variações de castas, encontre o que mais te agrada em meu Empório e saúde!